No ano em que cumpre 94 anos de existência, o Real Club de Celta de Vigo se prepara para abandonar a cidade que assistiu à sua fundação. A confirmação foi dada pelo presidente do clube nesta sexta-feira.

Foto: "Ricardo Grobas"

Foto: “Ricardo Grobas”

Na “ressaca” da derrota em Valência por três a dois, Carlos Mouriño, responsável máximo pela diretoria do Celta de Vigo, fez uma grande revelação em um encontro digital com os torcedores do clube: O emblema se mudará em breve, abandonando a cidade que é sede desde sua fundação. Em causa está um desentendimento com o prefeitura da cidade que se estende há demasiado tempo. Os indeferimentos constantes às propostas apresentadas pelo Celta de Vigo para construção de um novo estádio e respetiva cidade desportiva têm sido constantemente rejeitados pela prefeitura liderada por Abel Caballero. Faz oito anos que a situação se arrasta e agora parece ter chegado à “gota de água” para o líder do Celta de Vigo, que rejeitou “irreversivelmente” a última proposta da prefeitura que visava a cedência administrativa do estádio Balaídos nos próximos 50 anos, bem como sua exploração para efeitos comerciais: “Já demos conta de nossa rejeição dessa proposta à prefeitura antes que saísse na mídia, porque era impensável. Era impossível aceitar essa proposta”.

Carlos Mouriño promete levar sua ideia avante e oferecer ao clube novas instalações, mesmo que isso implique a saída da cidade de Vigo, já confirmada pelo próprio. As críticas ao prefeito Abel Caballero foram se sucedendo ao longo de todo o “bate papo” com a torcida galega: “Continua empenhado em não deixar o Celta crescer. Consigo ou sem, continuamos a lutar por tornar o Celta maior. Recordo que você é o administrador do estádio Balaídos, mas não é o dono do clube. Não vou ser eu a dizer como tem que guiar a prefeitura, portando não me diga como devo gerir o Celta”, referiu. O discurso foi longo e Carlos Mouriño sempre deixou claro que lamenta que o clube tenha que deixar a cidade, referindo que a responsabilidade pela atual situação é inteiramente da prefeitura.

Que solução?

A rádio “Cadena Ser” afirma que a possibilidade mais forte passa por construir as novas instalações em Mos, pequeno município a cerca de 20 km da cidade de Vigo. O projeto para construção do novo estádio engloba, na totalidade, 70 milhões de euros. Segundo Carlos Mouriño, 50 seriam dedicados para a construção do estádio e 20 para a cidade desportiva envolvente. O próprio presidente já entrou em contacto com os responsáveis de Mos para aferir se há terrenos disponíveis para a concretização do ambicioso projeto. Embora sem admitir que Mos é possibilidade, Carlos Mouriño se limitou a dizer que “já existem algumas possibilidades sobre a mesa”, sem adiantar datas para a execução do projeto.

Boas Apostas!