O gaúcho Paulo César Carpegiani estava há quase três anos fora da função de treinador, tendo como último clube comandado a Ponte Preta durante quase dois meses de 2013, assumindo a equipe em meados de junho e pedindo demissão quase no fim de agosto de 2013, depois de onze partidas disputadas, com quatro vitórias, três vitória e quatro derrotas.

Paulo César Carpegiani na sua apresentação oficial pelo Coritiba.

Paulo César Carpegiani na sua apresentação oficial pelo Coritiba.

O técnico foi anunciado novo comandante do Coritiba para a sequência do Campeonato Brasileiro 2016 e da Copa Sul-Americana. Vale lembrar que o treinador já esteve na capital paranaense outras três vezes, em 1995 quando comandou o próprio Coritiba, e em 2001 e 2010 quando treinou o Atlético Paranaense.

A confirmação da contratação foi dada na última sexta-feira (06), quando o clube paranaense anunciou em sua rede social que Carpegiani será seu novo treinador, também realizou uma entrevista coletiva no seu centro de treinamento, onde anunciou oficialmente a mudança. Carpegiani assume no lugar de Pachequinho, que esteve à frente da equipe desde a 5ª rodada do Brasileiro, quando Gilson Kleina foi demitido. Sob o comando de Pachequinho, o Coritiba disputou treze partidas, com três vitórias, cinco empates e cinco derrotas, estando atualmente na vice-lanterna do Brasileirão com dezoito pontos conquistados, estando há dois pontos da primeira equipe fora da zona de rebaixamento.

Durante a entrevista coletiva realizada no CT da Graciosa, o presidente do Coritiba, Rogério Bacellar começou agradecendo o técnico Pachequinho por todo o trabalho feito no clube. Vale ressaltar que Pachequinho continuará na comissão técnica do Coritiba, já que voltará a posição de auxiliar técnico. O treinador Carpegiani também falou durante a coletiva, afirmando estar feliz em voltar ao Coritiba depois de mais de vinte anos e falou um pouco sobre o que pretende fazer no seu novo clube. “É uma satisfação retornar a Curitiba e a um grande clube como é o Coritiba, uma obrigação e uma responsabilidade. A gente promete muito trabalho, empenho e seriedade e a convicção de que vamos realmente recuperar algumas coisas que o futebol permite. […] E que a gente consiga aqui fazer uma bela campanha nessa recuperação. Contamos com o apoio total da nossa torcida”.

Longa lista de clubes treinados

Carpegiani comandando o São Paulo.

Carpegiani comandando o São Paulo.

Paulo César iniciou sua carreira no futebol como jogador, defendendo apenas dois clubes em onze anos, o Internacional entre 1969 e 1977, onde conquistou sete vezes o Campeonato Gaúcho e duas vezes o Brasileirão, e o Flamengo entre 1977 e 1980, onde conquistou três vezes o Campeonato Carioca e uma vez o Brasileirão. Depois, em 1981, começou a sua carreira como treinador comandando o Flamengo, onde conquistou quatro títulos, sendo os mais importantes a Libertadores de 1981 e a Copa Intercontinental no mesmo ano. Nos anos seguintes, treinou várias equipes brasileiras, como Internacional, Atlético Paranaense e Náutico, onde conquistou o Campeonato Pernambucano de 1989, além de clubes do exterior, como Cerro Porteño, onde venceu o Campeonato Paraguaio em 1992 e 1994, Al Nassr, onde venceu a Copa da Arábia Saudita em 1984, e também treinou a seleção do Paraguai.

Nos seus últimos trabalhos, Carpegiani esteve na frente do Clube Vitória nas fases finais do Campeonato Baiano e na segunda fase da Copa do Brasil de 2009, conseguindo o título do estadual, mas acabando sendo eliminado nas quartas de final da Copa do Brasil pelo Vasco da Gama. Depois, veio um bom começo no Campeonato Brasileiro, terminando o 1º turno na parte de cima da tabela. Porém, na segunda parte da competição, começaram a acontecer resultados ruins e a equipe acabou ficando na 10ª colocação na competição nacional, e Carpegiani foi demitido com 26 jogos, sendo 11 vitórias, 6 empates e 9 derrotas.

Em maio de 2010, o treinador assumiu o Atlético Paranaense, que na época estava na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Depois de quatro meses como treinador do clube paranaense, Carpegiani conseguiu deixar a equipe na briga por uma vaga na Libertadores do ano seguinte. Porém, devido ao bom trabalho mostrado no Furacão, o treinador acabou sendo assediado pelo São Paulo, que o anunciou como seu novo treinador em outubro de 2010. Na equipe paulista, não conseguiu bons resultados, terminando o Brasileiro de 2010 na nona colocação. No ano seguinte, mais resultados desagradáveis, como a eliminação para o Santos no Campeonato Paulista e para o Avaí na Copa do Brasil. Porém, por estar sem opções para o cargo de treinador, o São Paulo decidiu permanecer com Carpegiani para o início do Brasileiro de 2012. Nas cinco primeiras rodadas, foram cinco vitórias, porém, nas outras três rodadas seguintes, a equipe acabou perdendo todas, resultando na sua demissão.

Ainda no início de 2012 voltou a comandar o Vitória, onde criou um método diferente durante as partidas. Ao invés de ficar na beira do gramado dando as coordenadas aos jogadores, Carpegiani ficava nos camarotes e tribunas assistindo a partida e dando instruções através do rádio aos seus auxiliares, que por sua vez repassavam aos jogadores. Apesar de polêmico, seu método deu certo, já que com isso levou o Vitória a liderança da Série B do Brasileirão por onze rodadas e com 32 jogos disputados como treinador do clube, conseguiu 19 vitórias, 7 empates e 6 derrotas. Em junho de 2013, começou sua passagem pela Ponte Preta, terminando-a em agosto de mesmo ano.

Boas Apostas!