O Clube Atlético Paranaense terminou o Campeonato Brasileiro de 2016 na sexta colocação, classificando-se para a Pré-Libertadores de 2017. O time terá que passar por duas fases, para então participar da fase de grupos da Libertadores. Primeiramente enfrentará o Milionarios da Colômbia, depois pega ou Universitario do Peru, ou Táchira da Venezuela ou o Deportivo Capiatá do Paraguai, para então chegar ao Grupo 4 que já tem o Flamengo, o Universidad Católica do Chile e o San Lorenzo da Argentina.

O time paranaense vem se preparando para fazer bonito na sua quinta participação da Copa Libertadores da América, a única perda do time de 2016, foi o meia Hernani que foi negociado com o Zenit da Rússia por R$ 28 milhões, tirando isso, a base está completa, inclusive com a renovação do zagueiro Paulo André e a contratação do zagueiro Thiago Heleno, ambos formaram a zaga menos vazada do Brasileirão 2016, juntamente com o goleiro campeão olímpico Weverton. O Atlético fez algumas contratações pontuais, entre elas está o experiente atacante Grafite, o meia atacante Felipe Gedoz, o lateral-direito Jonathan, o jovem atacante Luis Henrique e agora confirmou o experiente meia Carlos Alberto, o jogador chega com aval do técnico Paulo Autuori do presidente do Atlético Paranaense, Luiz Sallim Emed.

Anúncio da contratação

Técnico Paulo Autuori e Carlos Alberto durante um treino pelo Vasco em 2013.

Técnico Paulo Autuori e Carlos Alberto durante um treino pelo Vasco em 2013.

O meia Carlos Alberto foi anunciado nesta quinta-feira (12), o surgimento do jogador no CT do Caju foi indicação do técnico Paulo Autuori, que treinou o atleta no Vasco em 2013. A diretoria do Atlético Paranaense está se reforçando para fazer uma boa Copa Libertadores em 2017 e fechou contrato com Carlos Alberto por uma temporada com salário de R$ 50 mil mensais, mais adicionais. Carlos Alberto é conhecido como um craque com a bola nos pés, porém dono de um temperamento problemático, isso trouxe muitos problemas em sua carreira nos últimos anos, por isso a chance de atuar pelo Atlético Paranaense em 2017 será uma oportunidade de o jogador alavancar sua carreira novamente, já que o clube paranaense tem grande estrutura, um grande projeto e geralmente dá chances para jogadores problemáticos alinharem suas carreiras, alguns aproveitam como o atacante Washington (Coração de Leão), que foi desacreditado por outros clubes por ter um problema no coração e no Atlético recebeu a oportunidade e tornou-se o maior artilheiro dos pontos corridos do Brasileirão, com 34 gols na campanha vice-campeã do Brasileirão em 2004. Outros como o atacante Adriano e Walter acabaram não rendendo muito, mas o clube tem essa visão de acreditar no ser humano.

“Eu vi uma entrevista dele no Bola da Vez (programa da ESPN Brasil) e percebi um amadurecimento dele, um reconhecimento de atitudes que ele tomou e que a partir de agora não tomaria mais. O Carlos Alberto ficou satisfeito com a proposta, o Atlético ficou satisfeito com os compromissos dele”, contou Luiz Sallim Emed, presidente do Atlético Paranaense.

“Não é simples uma pessoa que tem sucesso, o glamour que existia pelo talento, e ele perde. Então a nossa expectativa é muito boa nesse sentido. É um recomeço para ele. Ele se comprometeu em se dedicar ainda mais, está mais amadurecido. O meu perfil é de acreditar nas pessoas. Vamos torcer, vai ser bom para todo mundo. Ele está muito entusiasmado”, completou Sallim.

O meia Carlos Alberto

Carlos Alberto campeão da Liga dos Campeões com o Porto em 2004.

Carlos Alberto campeão da Liga dos Campeões com o Porto em 2004.

O meia Carlos Alberto está com 32 anos e traz consigo a experiência de 12 clubes na carreira, o jogador já defendeu vários clubes brasileiros. Sua carreira internacional conta com passagens pelo Porto de Portugal, o clube alemão Werder Bremen e o Al Dhafra, dos Emirados Árabes.

Revelado pelo Fluminense, Carlos Alberto foi vendido com apenas 19 anos para o Porto, e em 2004 com apenas 20 anos, o meia foi campeão da Liga dos Campeões da Europa pelo Porto comandado José Mourinho.  Retornou ao Brasil trazido pela MSI para o Corinthians, por quem foi campeão brasileiro em 2005, mas colecionou polêmicas. Além do Corinthians, atuou também pelo São Paulo, Botafogo, Grêmio, Goiás e Bahia, além de Fluminense, Vasco e seu último clube foi o Figueirense, clube pelo qual fez 30 jogos e 8 gols nos últimos dois Brasileirões. Acabou sendo afastado por indisciplina por reclamar publicamente dos companheiros de time. Seu último jogo foi contra o São Paulo, vitória por 3 a 1 e um gol marcado por ele, o Figueirense acabou rebaixado para a Série B de 2017. Agora Carlos Alberto terá a oportunidade de jogar a Copa Libertadores da América de 2017 pelo Atlético Paranaense.

Boas Apostas!