Na próxima época, as noites de 3ª e 4ª feira serão bem calmas no Emirates, algo inédito nos últimos 20 anos. A Premier League 2016/17 chegou ao fim e os “Gunners” falharam a classificação para a próxima edição da Liga dos Campeões, algo que nunca tinha acontecido desde que o técnico Arséne Wenger chegou ao time londrino.

Foto: "Reuters / Andrew Couldridge"

Foto: “Reuters / Andrew Couldridge”

À entrada para a 38ª e última rodada da Premier League, as atenções se centravam na briga pela Liga dos Campeões, envolvendo Manchester City, Liverpool e Arsenal. As contas eram fáceis de fazer: Se os três times vencessem os respetivos desafios (tal como viria a acontecer), o time londrino que veste de vermelho ficaria fora da próxima edição da “liga milionária”.

Habituado a sofrer, só o torcedor mais crente do Arsenal pensaria que ainda seria possível garantir uma vaga na Liga dos Campeões 2017/18. Na 5ª posição com 72 pontos, menos um que o Liverpool (4º), o Arsenal dependia do resultado dos “Reds” para terminar mais acima na tabela. Sem desiludir quem se deslocou ao Emirates, o Arsenal venceu por três a um e abriu vantagem de dois antes do intervalo, graças aos gols de Héctor Bellerín e Alexis Sánchez, resultado que dava acesso virtual à Liga dos Campeões por troca com o Liverpool. Enquanto isso, no Anfield, se assistia a um jogo de paciência: Até quando duraria a resistência do Middlesbrough, um dos três emblemas que entraram nesta rodada já condenados à relegação? A resposta surgiu dos pés de Wijnaldum nos acréscimos do primeiro tempo, altura em que o marcador foi inaugurado. Philippe Coutinho, titular juntamente com Firmino, aumentou para dois a zero no início do segundo tempo e Adam Lallana fechou as contas, marcando o terceiro gol à defesa contrária que contou com Fábio da Silva como titular. Lucas Leiva foi a jogo aos 35 do segundo tempo, cumprindo aquele que poderá ter sido o seu último jogo com a camisa do Liverpool. O quarto lugar ficou entregue e o Manchester City também conservou os dois pontos de vantagem sobre os “Reds” para terminar no pódio, goleando em Watford por cinco bolas a zero com gols dos brasileiros Fernandinho e Gabriel Jesus. Os “Citizens” vão entrar de forma direta na fase de grupos da Liga dos Campeões, enquanto os “Reds” estão condenados a disputar o “play-off”. O Manchester United, sexto colocado, também poderá alcançar a “Liga Milionária”, isto se vencer o Ajax na final de Estocolmo, garantindo a vaga atribuída ao vencedor da Liga Europa.

No final desta temporada 2016/17 tal e qual como no remate de qualquer outra, a continuidade de Arséne Wenger suscita grande discussão. Se após a humilhante eliminação da Liga dos Campeões frente ao Bayern a saída parecia uma inevitabilidade, atualmente, a imprensa britânica tem colocado a hipótese de a diretoria prolongar o vínculo com o treinador por mais dois anos. Uma coisa é certa: O Arsenal não ficava abaixo do quarto lugar desde 1995/96, um ano antes de o técnico gaulês chegar a Londres. Vale recordar que na temporada 2015/16, o Arsenal tinha garantindo o apuramento para as oitavas pela 17ª vez consecutiva, embora nunca tenha vencido o troféu. O melhor registo na competição corresponde à chegada na final em 2005/06, perdida para o Barcelona no Stade France. No cômputo geral, o time do norte de Londres realizou 183 jogos na Liga dos Campeões, com um saldo de 87 vitórias, 41 empates e 55 derrotas. Em 2017/18, competirá pela primeiea vez na Liga Europa sob os atuais moldes da competição.

Boas Apostas!