2016 tem sido um ano incrível para a tenista alemã Angelique Kerber. Logo no início do ano, a tenista de 28 anos conquistou o primeiro Grand Slam da sua carreira ao vencer a norte-americana Serena Williams, até então nº 1 do tênis feminino, na grande final do Australian Open 2016 por 2 sets a 1. Alguns meses depois, Kerber voltou a conquistar um Grand Slam, o segundo da sua trajetória no tênis profissional. A alemã conquistou no último sábado (11) o US Open 2016, último Grand Slam da temporada, ao vencer a checa Karolína Plíšková por 2 sets a 0. Com o título, Kerber tornou-se a primeira alemã a conquistar o US Open desde Steffi Graf em 1996.

A alemã Angelique Kerber com a taça do US Open 2016.

A alemã Angelique Kerber com a taça do US Open 2016.

Além do título conquistado, Angelique tem mais um motivo para comemorar o ano de 2016, como consequência dos bons resultados atingidos durante o ano, sendo vice-campeã do Torneio de Wimbledon e depois de classificar-se para a final do US Open e ver a então nº 1 do mundo Serena Williams ser eliminada nas semifinais do torneio pelo checa Karolína Plíšková, a alemã Angelique Kerber alcançou o posto de nº 1 do ranking mundial de tênis feminino da WTA, assumindo o topo do tênis feminino a partir da segunda-feira, 12 de setembro.

“É fantástico. Ganhei o meu segundo Grand Slam num ano. É o melhor da minha carreira. É incrível. Quando era pequena, sonhava ser número um do mundo e ganhar Grand Slams e hoje ganhei o meu segundo Grand Slam, especialmente em Nova Iorque. E na segunda-feira serei número um. Todos os meus sonhos se tornaram verdade este ano”, afirmou Angelique Kerber depois da vitória no US Open.

Carreira da líder

Angelique Kerber comemorando um ponto.

Angelique Kerber comemorando um ponto.

A tenista alemã Angelique Kerber iniciou sua carreira em 2003, mas só começou a ganhar destaque em 2011, quando ocupava a 92ª colocação do ranking mundial e chegou as semifinais do US Open, até ser eliminada pela australiana Samantha Stosur. Kerber tem como principal característica a sua canhota agressiva, sendo muito eficaz com o punho esquerdo.

Durante o ano de 2015, Angelique Kerber conquistou pelo menos um título em cada tipo de quadra no WTA Tour daquele ano, vencendo o Charleston Open na argila verde, Stuttgart Open no saibro, Birmingham Classic na grama e Bank of the West Classic no piso duro. A alemã já conquistou dez títulos da WTA (Associação de Tênis Feminino) e outros onze títulos da ITF (Federação Internacional de Tênis). Vale lembrar que Kerber defendeu a Alemanha na Olimpíada de Londres em 2012, tanto no simples, onde foi eliminada nas quartas de finais, quanto nas duplas, jogando ao lado de Sabine Lisicki sendo eliminada nas oitavas de final. Na Olimpíada seguinte, no Rio 2016, Kerber participou novamente nas duplas femininas, sendo eliminada ainda na primeira fase, e no simples, onde conquistou a medalha de prata depois de perder a final para Mónica Puig.

Além disso, Angelique Kerber foi a primeira tenista da Alemanha a chegar ao Top 10 do ranking mundial do tênis feminino depois da aposentadoria da lenda alemã Steffi Graf em 1999. E na próxima segunda-feira Kerber será a tenista mais velha a chegar ao topo do ranking mundial da WTA, alcanço a liderança aos 28 anos.

Serena é eliminada e perde o posto de nº 1

Serena Williams derrotada por Karolina Pliskova.

Serena Williams derrotada por Karolina Pliskova.

A tenista norte-americana Serena Williams, considerada por muitos, uma das melhores tenistas do mundo, perdeu a liderança do ranking mundial de tênis feminino para a alemã Angelique Kerber. Isso aconteceu depois de um ano difícil para Serena Williams, que venceu apenas dois títulos de Grand Slam em 2016 (simples e duplas do Torneio de Wimbledon) e que não conseguiu nenhuma medalha nas Olimpíadas do Rio 2016, além de ter sido eliminada em casa nas semifinais do US Open, disputado nos EUA, pela checa Karolína Plíšková na última quinta-feira (08). A norte-americana esteve no topo do ranking da WTA por seis vezes, sendo que esta última durou incríveis 186 semanas, fazendo Serena igualar-se a Steffi Graf no número de semanas como melhor do mundo.

Se Serena Williams não teve um bom ano, a agora nº 1 do mundo do tênis feminino, Angelique Kerber teve um ótimo ano, conquistando os dois primeiros títulos de Grand Slam da sua carreira, o Australian Open e o US Open, e tornando a melhor do mundo. Agora, o que veremos na próxima temporada é a norte-americana Serena Williams lutando para voltar ao topo do tênis feminino e a alemã Angelique Kerber lutar para permanecer na primeira colocação do ranking.

Boas Apostas!