Kyle Goldwin, Jake Gosling, Liam Walker, Anthony Bardon, Lee Casciaro, Roy Chipolina, Jayce Olivero, Alain Pons, Jack Sergeant, Joseph Luis Chipolina e Anthony Hernandez. Os nomes anteriormente citados poderão não ser minimamente familiares ao torcedor comum, mas todos têm um lugar na história de uma nação: a de Gibraltar. A seleção gibraltina conquistou a primeira vitória da sua história nesse domingo (25).

GibraltarPara os (poucos) torcedores gibraltinos, o dia 25 de março de 2018 fica para a história. Cerca de dois anos depois de ter sido oficialmente reconhecida pela FIFA, a seleção de Gibraltar venceu sua primeira partida. A vítima foi a Letónia.

Apesar de utilizar habitualmente o estádio do Algarve, no sul de Portugal, para disputar seus encontros, a seleção de Gibraltar recebeu a congénere da Letónia no estádio Victoria. A tarde reservava um momento absolutamente histórico. A dois minutos do final do encontro frente à Letónia, o zero a zero pairava no marcador, resultado que nem seria mau de todo, uma vez que os donos da casa eram considerados claramente como “underdogs” à entrada para esse desafio. Liam Walker, jogador do Notts County, time da League Two (quarta divisão inglesa), atirou à baliza contrária, a bola ressaltou em um adversário e só parou no fundo da rede da baliza da seleção do norte da Europa, consumando a primeira vitória desde que está sob reconhecimento do organismo que tutela o futebol mundial.

Vitória não reconhecida em 2014

Antes de passar pelo processo de aprovação da FIFA – pelo qual passou o Kosovo recentemente, por exemplo -, a seleção de Gibraltar mediu forças com a congénere de Malta em 2014, ano em que ainda estava apenas sob reconhecimento da UEFA, instituição que rege os destinos do futebol europeu. Nessa ocasião, a equipe de Gibraltar venceu por um a zero.

Ainda composta por vários jogadores amadores que têm outras profissões para além do futebol, a seleção de Gibraltar fez história. Vale lembrar que o time do Estreito situado no sul da Europa já participa de fases de apuramento para os torneios FIFA, sendo que esteve envolvido na discussão da classificação para a Copa do Mundo 2018. Nesse ciclo de apuramento, Gibraltar partilhou o grupo H com Bélgica, Grécia, Bósnia, Estónia e Chipre, terminando a participação com dez derrotas em outras tantas partidas, três gols marcados e nada mais nada menos que 47 sofridos.

Gibraltar terá sua vaga na Liga das Nações da UEFA, se situando no mais baixo dos potes.

Boas Apostas!