Na última quinta-feira, dia 06 de outubro, foram disputadas as cinco partidas da 9ª rodada das Eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo de 2018, as quais marcaram o fim do primeiro turno da competição que classificará as seleções representantes do futebol sul-americano no próximo mundial, que será disputado em 2018 na Rússia. Por isso, falaremos um pouco sobre como foram essas primeiras nove rodadas das Eliminatórias, destacando a campanha de algumas seleções e os resultados atingidos por elas neste primeiro turno da competição que antecede o principal torneio entre seleções do futebol mundial.

Primeiros colocados equilibrados

Uruguai, Brasil e Equador são os três primeiros colocados das Eliminatórias.

Uruguai, Brasil e Equador são os três primeiros colocados das Eliminatórias.

Esta Eliminatória para a Copa do Mundo de 2018 pode ser considerada uma das mais equilibradas desde que a competição assumiu o atual formato em 1998, já que a diferença de pontos entre os primeiros colocados é muito pequena. Olhando a pontuação dos cinco primeiros colocados das Eliminatórias no primeiro turno, entre as nove primeiras rodadas, vemos que a diferença para o líder Uruguai e a quinta colocada Argentina (na zona de repescagem) é de apenas três pontos. Olhando apenas dentro da zona de classificação direta para o próximo mundial, a diferença de pontuação é igual ou menor, já que o quarto (Colômbia) e terceiro (Equador) colocados também estão a dois pontos do líder, enquanto o segundo (Brasil) está a apenas um ponto.

Se olharmos para as outras edições das Eliminatórias com o mesmo formato, o número de pontos que separa o primeiro colocado e o quinto colocado no primeiro turno foi maior. Para o Mundial de 2002, a diferença foi bem maior que a para a Copa do Mundo de 2018, já que a Argentina liderava com 24 pontos enquanto o Uruguai estava com 15 na quinta colocação, nove pontos de diferença entre eles. Já em 2006 a diferença foi de sete pontos, entre o líder Brasil (19) e o quinto colocado Chile (12). Enquanto para o Mundial de 2010 essa diferença aumentou bastante, tendo o Paraguai liderando com 20 pontos e o Uruguai em quinto com 12 pontos. E na última Eliminatória foram apenas cinco pontos que separaram o líder (Argentina) e o quinto colocado (Chile) no primeiro turno das Eliminatórias.

Uruguai surpreendendo

Atacante Cavani comemorando gol pelo Uruguai.

Atacante Cavani comemorando gol pelo Uruguai.

Para quem acompanha apenas a atual geração do futebol uruguaio pode não estar se surpreendendo com o desempenho da seleção Celeste nas Eliminatórias para a Copa do Mundo. Porém, olhando para as edições anteriores da competição, vemos que o Uruguai conseguiu sua classificação para os Mundiais através das repescagens, sem conseguir ficar entre os quatro primeiros colocados nas Eliminatórias. Depois de ficar de fora da Copa do Mundo de 1994 e 1998, a seleção uruguaia classificou-se para as edições seguintes (2002, 2006, 2010, 2014) terminando as Eliminatórias para a Copa do Mundo na quinta colocação, a qual leva a equipe para uma repescagem entre outras equipes de outras partes do mundo. Porém, a seleção comandada por Luiz Suáres e por Cavani vem surpreendendo e se mantendo na ponta das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, algo inédito desde 1998, quando a competição assumiu o atual formato. O Uruguai lidera as Eliminatórias com a melhor defesa (cinco gols sofrido) e o segundo melhor ataque (19 gols marcados), além de seis vitórias, um empate e duas derrotas e dezenove pontos conquistados.

Além de destacarmos o desempenho da seleção uruguaia, temos que falar também do artilheiro da equipe e das Eliminatórias, o atacante Edison Cavani. Vivendo um ótimo começo de temporada no Paris Saint-Germain, onde já marcou onze gols em nove partidas, Cavani vem também fazendo um bom trabalho na sua seleção. Atuando nas Eliminatórias pelo Uruguai, o atacante marcou sete gols, além de uma assistência, porém, os números poderiam ser ainda melhores, já que nas duas primeiras rodadas não pode jogar devido a uma suspensão pela confusão com o chileno Jara pela Copa América de 2015.

Chile decepciona

Alexis Sanchez jogando pela seleção do Chile.

Alexis Sanchez jogando pela seleção do Chile.

Outro destaque deste primeiro turno das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 vem sendo o fraco desempenho da seleção chilena, comandado pelo treinador Juan Antonio Pizzi. Atuando praticamente com mesma equipe que foi bicampeã da Copa América, conquistando-as em 2015 e 2016 contra a Argentina, o Chile não vem conseguindo manter os bons resultados nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, ocupando no fim do primeiro turno a singela sétima colocação da competição, com onze pontos conquistados em vinte e sete possíveis, estando a cinco pontos do quinto colocado, Argentina.

Em agosto deste ano, o meio-campista chileno Arturo Vidal afirmou que o Chile era a seleção “mais forte do mundo” na atualidade, porém, na última sexta-feira (07) o mesmo jogador afirmou que a próxima partida da seleção chilena, contra o Peru em casa na terça-feira (11) pela 10ª rodada das Eliminatórias, será “fundamental para as pretensões da Roja se quiser ir à Copa”. Se nas duas últimas edições da Copa América a seleção do Chile perdeu apenas uma partida e conquistou os dois títulos, nas Eliminatórias para o próximo Mundial a equipe soma apenas três vitórias em nove partidas, empatando outras duas e perdendo quatro, além de possuir a quarta pior defesa da competição. Caso mantenha esse rendimento, a seleção que tem ótimos jogadores como Alexis Sanchez e Arturo Vidal, poderá ficar de fora da Copa do Mundo de 2018.

Boas Apostas!